Burse confirma mudanças contra o Grêmio e pede marcação reforçada

O Vitória está pronto para encarar o Grêmio. Com algumas mudanças forçadas, o técnico interino João Burse já montou a base do time que entrará em campo domingo (12), às 19h, em Porto Alegre, na arena do tricolor gaúcho.

Como perdeu o volante Arouca, suspenso, o treinador não teve opção e precisou mexer. O escolhido para a vaga não é surpresa: o zagueiro Ramon. Muito utilizado na posição, ele já nem é mais considerado pelos treinadores como atleta improvisado. Mas a meiúca não é o único setor que terá o dedo do treinador. Nos treinos durante a semana, Burse também fez uma alteração na defesa e colocou Kanu no lugar de Aderllan, que se queixou de cansaço muscular e teve sua carga de trabalhos diminuída durante as atividades.

Como ainda fará um último treino neste sábado (11), em Curitiba, o treinador prefere aguardar para confirmar os 11 que enfrentarão o Grêmio. De qualquer forma, ele adianta que a formação será a mesma utilizada no empate em 1×1 com o Cruzeiro, na rodada passada, com três volantes.

O time deve atuar com Ronaldo; Jeferson, Kanu, Ruan Renato e Bryan; Ramon, Marcelo Meli e Fillipe Soutto; Yago, Neilton e Walter Bou.

Seguem vetados o atacante André Lima e o volante Willian Farias, que ainda não se recuperaram, além dos atletas que já não estavam sendo relacionados por motivos médicos, como são os casos de Luan, Walisson Maia e Rodrigo Andrade. Rhayner, Juninho e Guilherme Costa, na transição, também não estão disponíveis.

Marcação é uma das maiores preocupações de Burse, que busca um equilíbrio entre um time que marque bem, mas não esqueça de sair para o jogo. “As equipes que trabalho, eu sempre priorizo isso, de posse e intensidade. Intensidade não só para jogar, mas para marcar também. Isso é um processo, aos poucos vamos adquirindo isso. Os atletas conseguiram fazer isso em alguns momentos do jogo contra o Cruzeiro. Temos que pressionar. Temos que bater nisso, pressionar mais um pouco o adversário”, explica Burse.

Cautela
Potencializar a marcação é mesmo uma necessidade. O Vitória é o time que, até agora, mais sofreu gols no Campeonato Brasileiro: 31 – média é de 1,8 tomados por rodada.  Isso tem incomodado tanto a defesa, que o lateral Jeferson admitiu o incômodo em entrevista durante a semana.

“É muito complicado, ainda mais a gente da defesa sabendo que a é defesa mais vazada. Dói muito. Nós conversamos sobre isso. Tenho certeza que desde o jogo de domingo (contra o Cruzeiro), só tomamos um gol que foi de bola parada, não foi jogada deles. Espero que contra o Grêmio mantenha de não tomar gol, gol bobo que acontece sempre. Trabalhar, treinar, evoluir nesse sentido para não tomar mais gol, apenas fazer”, disse o atleta.

Atualmente, o Vitória tem 19 pontos e ocupa a 14ª posição na tabela, enquanto o Grêmio vive situação muito mais cômoda e ocupa a 4ª colocação, com 30 pontos conquistados.

Deixe uma resposta