Comunidade de Daniel Lisboa ganhará casas e escadaria reformadas

O dia foi de festa no Daniel Lisboa. Na noite desta segunda-feira (14), de uma vez só foi dada ordem de serviço duas obras para a comunidade: o Morar Melhor na localidade da Baixa da Torre e uma escadaria na rua Arthur Freitas Pinto.

Algumas casas já começaram a ser beneficiadas, como a do aposentado Antônio Santiago, 71.  “Eu mesmo construí a casa, mas o dinheiro acabou e eu não pude fazer o acabamento”, contou o idoso, que trabalhou a vida inteira como pintor. A casa ganhou reboco, pintura, chuveiro e boxe.

“Queria colocar um reboco na casa, mas eu não sabia como ia fazer. Graças a Deus esse programa apareceu na minha porta e eu me cadastrei”, falou o aposentado. No Morar Melhor, técnicos da Prefeitura selecionam as áreas com maior índice de pobreza e com maior número de casas sem reboco e visitam os moradores para fazer o cadastro dos imóveis. Cada um pode escolher até R$ 5 mil em serviços.

“A gente sabe que muita gente quer deixar o lar mais digno, mais bonito. Fazendo uma pintura, um reboco, trocando uma esquadria, fazendo banheiro quando não tem. Mas tudo isso custa dinheiro. E pro trabalhador que é assalariado, depois que cumpre com todas as suas obrigações, fica difícil economizar. Pior ainda é para quem está desempregado ou depende dos programas de transferência de renda”, disse o prefeito ACM Neto, que autorizou as obras.

Na Baixa da Torre, cem casas serão contempladas com as melhorias, o que representa um investimento total de R$ 500 mil. O prefeito disse que outras casas do Daniel Lisboa ainda têm chance de ser contempladas nas outras etapas do Morar Melhor. Até o fim do ano, 20 mil casas por toda a cidade terão sido beneficiadas pelo programa. Cem mil residências devem ser reformadas até o fim da iniciativa, em dezembro de 2020.

Mais pedida
Na Rua Arthur Freitas Pinto, no Daniel Lisboa, um desejo antigo da comunidade foi atendido. A escadaria que vai até o fim de linha do bairro será reformada e entregue à população daqui a cerca de 45 dias. A obra foi uma das mais votadas no Programa Ouvindo Nosso Bairro.

“A escada está quebrada lá em cima. O pessoal tem que descer sentando no degrau e passando pro outro”, explica a dona de casa Jacimara Santana, 43 anos, moradora da rua desde que nasceu. “Já vi gente que caiu aí e quebrou o pé”, contou, mostrando que a reforma é urgente.

“Nossa cidade foi ocupada em áreas em que as pessoas tem que subir e descer dezenas, às vezes centenas de degraus para se deslocar. Sobretudo para as pessoas mais idosas, ter uma escada em boas condições é fundamental”, falou Neto.

“Vamos fazer obras de recuperação, drenagem, ampliar os degraus e troca de guarda-corpo”, informou o secretário de manutenção Virgílio Daltro. O investimento será de R$ 111 mil.

Deixe uma resposta