Copa do Mundo repete histórico de 64 anos e terá europeu na final

Com a classificação da Inglaterra para as quartas de final, após a vitória sobre a Colômbia nesta terça-feira (3), fica definido que pelo menos uma das seleções a disputar a final do Mundial será europeia.

Esse tem sido o padrão desde 1954. Na Copa de 1950, última vez que nenhum europeu chegou à final, a partida foi disputada entre Brasil e Uruguai.

Um dos lados da chave das quartas de final desta Copa é disputado apenas por equipes europeias e, necessariamente, uma delas chega à final. São elas: Croácia, Rússia, Inglaterra e Suécia.

Ainda há a chance de uma final exclusivamente europeia, a depender de Brasil e de Uruguai, os únicos sul-americanos nas quartas. As equipes enfrentam, respectivamente, Bélgica e França.

Nos torneios realizados desde 1998, quando foi adotado o atual formato da competição (com 32 clubes), duas finais viram apenas equipes da Europa: 2006 e 2010.

No Mundial da Rússia, as seleções europeias tiveram um índice de permanência semelhante ao de outros Mundiais realizados no continente desde 1998.

Foram 14 equipes europeias na fase de grupos -44,75% do total. Ficaram dez nas oitavas, 62,5%, e seis nas quartas, 75%.

Os números são idênticos aos de 2006, na Copa realizada na Alemanha. Para 1998, na França, a única diferença é que eram 15 europeus entre os 32 da fase de grupos -46,9%.

Percentualmente, as seleções da América do Sul tiveram desempenho parecido com o das europeias, mas, como começam em menor número na competição, acabam com uma parcela menor das vagas no mata-mata.

Das cinco equipes que começaram no mundial, duas permanecem (40%, ante 42,8% de permanência europeia). Com isso, sul-americanos têm duas das oito vagas das quartas, ou 25%. Com informações da Folhapress.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: