Deam de Ilhéus interroga homem que aparece agredindo mulher em vídeo

Foto: Reprodução

A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), de Ilhéus, interrogou na tarde desta quinta-feira(15), Carlos Samuel Freitas Costa Filho, flagrado agredindo uma mulher com socos. O agressor apresentou-se acompanhado de um advogado.

“Tivemos acesso ao vídeo e identificamos o autor, que começou a ser procurado imediatamente”, disse a delegada titular da Deam, Márcia Rezende. De acordo com a delegada, um boletim de ocorrência foi aberto, mesmo sem o comparecimento prévio da vítima, por se tratar de ação penal pública incondicionada.

Policiais realizaram diligências durante toda manhã de hoje (15) e a vítima foi localizada e ouvida. Segundo a apuração, o crime foi filmado em junho deste ano.

Carlos Samuel Freitas Costa Filho já foi alvo de outros três inquéritos por violência doméstica, procedimentos já finalizados e remetidos à Justiça, em 2015 e 2016. Ainda de acordo com a polícia, outros sete boletins foram registrados na unidade, porém as investigações não puderam avançar, visto que as vítimas não quiseram ir adiante e se recusavam a comparecer para dar informações sobre os episódios de violência.

O acusado já foi preso em flagrante por agredir a mãe, tendo sido liberado em seguida pela Justiça. Após ser ouvido na tarde de hoje, o agressor foi liberado por não ter havido flagrante.

Pedido de prisão preventiva

No final da tarde de hoje, o Ministério Público estadual pediu a prisão preventiva de Carlos Samuel Freitas Costa Filho, identificado como autor das agressões contra uma mulher, filmadas e veiculadas em vídeo pelas redes sociais. As imagens revelam que o homem desferiu 11 socos contra a vítima, que seria uma ex-namorada. Segundo o órgão, a notícia do fato foi encaminhada pela manhã e foi solicitada de imediato a documentação à autoridade policial para a adoção das medidas cabíveis.

“O pedido da prisão se fundamentou ‘na necessidade de resguardar a ordem pública, considerando-se a gravidade da conduta concreta (exacerbada violência empregada) e a condição reincidente do autor do fato'”, diz o MP-BA, em nota. O mandado de prisão já foi expedido pela 2ª Vara Criminal de Ilhéus e está disponível no Banco Nacional do CNJ.
Fonte: BNews

Compartilhe essa notícia
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta