Deputado repudia animação ‘Super Drags’, e Netflix responde

O deputado federal Alan Rick (DEM-AC) compartilhou neste sábado (3) em seu perfil no Facebook uma nota de repúdio à série animada brasileira Super Drags. A atração com selo Netflix deve estrear no serviço de streaming no próximo dia 9 de novembro.

“Estamos presenciando mais um ataque às nossas crianças: o lançamento de um desenho animado adulto chamado ‘Super Drags’ na Netlix”, diz o texto.

“O desenho, que nos parece uma paródia de ‘As Meninas Superpoderosas’, este sim um desenho infantil, retrata a vida de homens que se vestem de mulher para “salvar o mundo”, descreve o parlamentar, que também afirma que a animação “é recheada de palavrões e piadas de cunho sexual.”

“A lei brasileira determina que é tarefa da família a formação moral de crianças e adolescentes (…) Essa formação tem reflexos imediatos no comportamento de crianças e adolescentes (…) O que estamos vivenciando e confrontando no Congresso são tentativas sórdidas de influenciar sexualmente nossas crianças.”

Ao final, o deputado do Acre afirma que enviará uma “nota de repúdio oficial” à Netflix contra a série animada em nome da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, da qual é vice-presidente.

Na publicação é possível ver também a imagem do documento oficial assinada pelo Rick e também pelo deputado federal Diego Garcia (Podemos-PR), presidente da frente na Câmara dos Deputados.

Os parlamentares afirmam no documento que a animação “faz apologia à erotização e à sexualização dos telespectadores, e contém cenas implícitas e explícitas de pornografia, de lascívia e de orgia, além de possuir linguagem imprópria.”

Eles também dizem que repudiam a atração “devido ao fato de que a mesma retrata assuntos de cunho moral e atinentes à sexualidade de forma obscena e não educativa”. E pedem o aumento da classificação etária da produção de 16 para 18 anos.

Segundo os parlamentares, a justificativa do pedido se baseia nos termos guia de classificação. Segundo o trecho do guia compartilhado, produções com classificação indicativa 18 anos apresentam “situações sexuais complexas/de forte impacto: sexo com incesto (…), sexo grupal, fetiches violentos e pornografia em geral”.

 

Netflix responde

Com classificação indicativa de 16 anos, Super Drags é uma criação de Anderson Mahanski, Fernando Mendonça e Paulo Lescaut, com produção do Combo Estúdio. A primeira temporada terá 5 episódios e contará com as vozes de três drag queens famosas no cenário brasileiro: Pabllo Vittar, Silvetty Montilla e Suzy Brasil.

Esta não é a primeira vez que a atração, ainda inédita, vira alvo de pedidos alteração. Em julho passado, pouco depois da divulgação da novidade no catálogo do serviço de streaming, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou uma nota pedindo o cancelamento da série.

No texto, o grupo sinalizava os “riscos de se utilizar uma linguagem eminentemente infantil para discutir tópicos próprios do mundo adulto”.

Em resposta, o serviço de streaming divulgou nota informando:

“A Netflix oferece uma grande variedade de conteúdos para todos os gostos e preferências. ‘Super Drags’ é uma série de animação para uma audiência adulta e não estará disponível na plataforma infantil.”

Também neste sábado, o serviço de streaming compartilhou nas redes sociais um tutorial chamado Como ativar o controle de pais na Netflix. Veja abaixo:

Assista ao trailer de Super Drags:

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: