Diga o último adeus às tecnologias, serviços e produtos que morreram em 2018

Adeus ano velho, e com ele vão todas as tecnologias que não encontraram saída no mercado e foram descontinuadas. Deixando saudade ou a sensação de que já foram tarde, inúmeros serviços e produtos deixaram de existir em 2018, abrindo caminho para as funcionalidades que o futuro inevitavelmente trará.

Veja, aqui, alguns exemplos de produtos, serviços e ferramentas que não sobreviveram ao ano de 2018:

Reviews na Netflix

Em 2017, a Netflix lançou um mecanismo de avaliações dos seus títulos baseada nos likes e dislikes que os espectadores davam para os títulos que assistiam, transformando as opiniões em um sistema de pontos entre 1 e 5. Em agosto de 2018, entretanto, a Netflix decidiu aposentar a ferramenta. Será que as descurtidas no Punho de Ferro tiveram algo a ver com a decisão?

PlayStation Vita

Também foi declarado morto o console portátil lançado pela Sony em 2011, quando os jogos mobile eram bem diferentes do que são hoje. Por esse motivo, a empresa disse que não vai mais fabricar o Vita a partir de 2019, adicionando a informação que não tem planos de desenvolver um novo portátil para tomar seu lugar. Também, com a concorrência do Nintendo Switch seria muito difícil conseguir sucesso nesse campo. Que o Vita ascenda aos céus e encontre seu antecessor também mortíssimo, o PSP.

Sim, os sites controlados pela Yahoo! desde que a Internet é Internet não morreram em 2009. No Japão, algumas das páginas ainda estavam acessíveis. O que pode ter sido a primeira experiência semelhante às atuais redes sociais para muita gente, o GeoCities permitia que qualquer cidadão tivesse uma página pessoal, ainda que meio feia. As poucas páginas que sobraram dessa época estão com a corda no pescoço: elas serão definitivamente descontinuadas em março de 2019.

Google+ e Google Inbox

Em setembro, a Google anunciou que descontinuaria o serviço Google Inbox em março de 2019, sendo que os seus melhores recursos foram implementados no Gmail. Logo no mês seguinte, uma vulnerabilidade de dados espalhou informações de meio milhão de usuários da impopular rede social Google+, levando a empresa a marcar abril de 2019 como data de encerramento das atividades. O que a Google dá, a Google tira.

Karma, o drone da GoPro

Bem que a GoPro tentou quebrar a hegemonia da DJI no mercado de drones. Entretanto, como a empresa estava com dificuldade de manter a popular linha Hero lucrativa, o anúncio do fim do drone foi feito bem no finalzinho de 2017. O projeto, literalmente, foi pro céu.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: