Em meio à greve, como ficam os serviços durante o feriadão?

Em meio à greve dos caminhoneiros, que gerou problemas de desabastecimentos nas principais capitais do país, algumas cidades decretaram ponto facultativo na emenda do feriado de Corpus Christi, que acontece nesta quinta-feira (31). Alguns serviços ainda não estão funcionando na normalidade, como é o caso da venda de combustíveis. Saiba como fica o feriadão em nove capitais do país:

São Paulo

Transportes: os ônibus da SPTrans têm combustível garantido pela prefeitura apenas até esta quarta-feira (30). Por isso, a empresa deve repetir o esquema adotado nos últimos dias: de 60% a 70% da frota operando, com suporte dos trens e metrôs, que terão o seu horário estendido das 4h à 1h desta quinta.

De acordo com o UOL, as linhas de trólebus operam com a frota máxima, assim como o serviço Atende (transporte de deficientes). O rodízio de veículos continua suspenso até o fim da semana e os veículos que venham a sofrer pane seca não serão multados.

Combustíveis: a liberação do abastecimento dos postos começou nesta terça. Os caminhões-tanque estão chegando gradativamente, muito com escolta. A Plural, entidade que representa redes como BR, Ipiranga e Shell, informou que a situação em São Paulo ficará menos complexa nas próximas 48 horas.

Saúde: o estoque de insumos foi reforçado e 12 dos 16 hospitais municipais voltaram a realizar cirurgias eletivas. Carmino Caricchio (Zona Leste), Tide Setúbal (Zona Leste), Hospital M’Boi Mirim-Dr. Moysés Deutsch (Zona Sul) e José Soares Hungria (Zona Norte) continuam atendendo apenas cirurgias consideradas emergenciais. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) tem operado normalmente.

Educação: escolas funcionam normalmente. A merenda é garantida, mas o cardápio está sendo adaptado aos estoques das unidades.

Limpeza urbana: coletas de lixo domiciliar, hospitalar, limpeza pós-feiras livres, recolhimento de animais mortos e varrição de ruas funcionam normalmente na cidade. A coleta seletiva está suspensa, mas os Ecopontos, locais para o descarte de volume pequeno de entulho e material reciclável, foram reabertos nesta quarta.

Alimentos: a partir desta quarta, as feiras livres voltam às periferias.

Rio de Janeiro

Transportes: o BRT já está com operação normalizada nas linhas Transcarioca e Transolímpica. Por questões de segurança, o serviço tem restrições em trecho da Transoeste. Os ônibus convencionais operam com 71% de capacidade e, se mantida a continuidade da operação de abastecimento de combustível, as empresas já têm condições de normalizar o serviço, segundo a Rio Ônibus.

Combustíveis: 12 milhões de litros de combustíveis abasteceram os postos do Estado, segundo o gabinete de intervenção. Espera-se que a oferta de produtos nas bombas volte aos normal em até cinco dias.

Educação: escolas municipais vão funcionar normalmente nesta quarta.

Saúde: o atendimento nas unidades seguirá normalmente, embora alguns funcionários ainda encontrem dificuldades para chegar ao local de trabalho devido a instabilidades no transporte público. Os hospitais estão abastecidos com insumos e medicamentos, mas a alimentação é servida com adequações no cardápio. Há dificuldade na realização de exames laboratoriais.

Demais setores: a coleta de lixo, coletiva seletiva, remoção e poda de árvores ocorre normalmente. O Centro de Operações Rio (COR), a Guarda Municipal e a Defesa Civil continuam de prontidão para atuar nos reflexos da greve dos caminhoneiros.

Minas Gerais

De acordo com o UOL, o transporte público e os serviços de limpeza urbanafuncionam normalmente. O metrô que liga Belo Horizonte a Contagem terá funcionamento apenas das 5h30 às 9h30, pois os funcionários estão em greve.

Alimentos: o abastecimento de mercados municipais, sacolões e feiras em geral está sendo feito parcialmente. As quatro unidades do Restaurante Populares abrirão nesta quarta, com adaptações no cardápio devido à falta de alguns itens.

Saúde: unidades da Rede SUS-BH que atendem urgência funcionarão normalmente. Os demais centros de saúde vão operar com escala de 50% dos funcionários.

Escolas e órgãos públicos: unidades da rede municipal, órgãos públicos e entidades do Poder Executivo retomarão as atividades na próxima semana.

Santa Catarina

Transportes: na Grande Florianópolis, haverá paralisações de motoristas das 8h às 11h, das 14h às 17h e a partir das 20h. Em Joinville, haverá redução na quantidade de horários da frota em períodos com menor movimentação e os ônibus só sairão dos terminais quando atingirem um número mínimo de passageiros. Criciúma, Blumenau e Chapecó também estarão com o serviço limitado.

Combustíveis: nenhum posto em Joinville, Vale do Itajaí, Balneário Camboriú e região possui combustível. O Sindópolis informou que a normalização do serviço na Capital deve demorar de três a sete dias a partir da liberação dos caminhões-tanque da base de distribuição da Petrobras, em Biguaçu.

Ao menos 20 municípios catarinenses decretaram situação de emergência ou calamidade pública. Os municípios afetados pela greve são: Concórdia, Irani, São Joaquim, Marema, Faxinal dos Guedes, São João Batista, Antônio Carlos, Major Gercino, Chapecó, Morro Grande, Ituporanga, Rio do Sul, Braço do Trombudo, Aurora, Monte Castelo, Pinhalzinho, São Francisco do Sul, Jaraguá do Sul e Brusque. As cidades registram falta de alimento e combustíveis.

Saúde: todas as unidades de saúde e UPAs de Florianópolis e das principais cidades do estado atenderão normalmente nesta quarta. Cirurgias e exames eletivos nos hospitais estaduais seguem suspensas.

Educação: as aulas na rede municipal e estadual em Florianópolis foram retomadas nesta quarta-feira. A UFSC, a Udesc e a Unisul suspenderam atividades até a próxima segunda-feira (4). Em Joinville, as aulas estão mantidas.

Rio Grande do Sul

Transportes: os ônibus de Porto Alegre estão circulando normalmente nos horários de pico. Nos demais períodos, segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), as linhas funcionarão com horário de sábado.

Combustíveis: 94 postos da cidade estavam na terça-feira. A lista está disponível no site da prefeitura, mas há risco de os estoques acabarem em alguns deles.

Saúde: a rede pública está em funcionamento, mas com restrições. A falta de insumos causa a suspensão da alimentação para funcionários, pois a prioridade são os pacientes. Segundo a Rede de Hospitais Filantrópicos do Rio Grande do Sul, mais de 50% das 269 instituições que são representadas pela entidade têm reagendado atendimentos e cancelado cirurgias eletivas.

Paraná

Transportes: ônibus estão operando normalmente.

Combustíveis: em Curitiba, houve uma nova operação de escolta de caminhões-tanque nesta terça. A expectativa dos postos é que o abastecimento vá sendo normalizado nos próximos dias.

Alimentos: feiras municipais seguem com a rotina afetada em função do desabastecimento de produtos.

Escolas: muitas escolas estaduais e universidades interromperam os serviços durante toda a semana.

Dos 399 municípios do estado, 127 municípios enfrentam paralisação total das escolas estaduais, e outros 47 estão interrompidos parcialmente. Além disso, 133 municípios ainda estão com problemas na regularização do transporte escolar. A expectativa é que a situação vá se resolvendo a partir da não interrupção do fornecimento de combustível nas refinarias.

As sete universidades estaduais seguirão fechadas. Além do feriado previsto para quinta-feira, haverá recesso acadêmico e administrativo na sexta (1º).

Serviços essenciais: de acordo com o governo do Paraná, os serviços essenciais vão funcionar normalmente nesta quarta.

Alagoas

Transporte: está funcionando normalmente em Maceió.

Combustíveis: os postos estão praticamente todos abastecidos.

Escolas: unidades da rede municipal e estadual funcionam normalmente. As universidades estaduais e muitas privadas suspenderam as aulas.

Pernambuco

Transporte: está operando normalmente.

Combustíveis: o abastecimento nos postos segue irregular e com falta na maioria deles.

Escolas: as universidades federais e a Católica suspenderam as aulas e voltam apenas na próxima segunda-feira (4).

Justiça: voltou a ter expediente normal desde terça-feira.

Bahia

Transporte: ônibus urbanos circularam com 100% da frota nesta terça.

Combustíveis: o abastecimento aos postos foi retomado.

Alimentos: há relatos de desabastecimento de alimentos e água em cidades do interior.

Escolas: as aulas na Universidade Federal da Bahia foram retomadas nesta quarta.

Deixe uma resposta