Empréstimo de Régis renderá R$ 1,6 milhão ao Bahia se oficializar

A iminente saída do meia Régis, se confirmada desta vez, renderá ao Bahia cerca de R$ 1,6 milhão. Segundo apurou o CORREIO, este é o valor que o tricolor receberá pelo empréstimo do jogador ao Al Wehda, da Arábia Saudita, até maio de 2019.

O meia terá os direitos econômicos fixados em valor equivalente hoje a R$ 16 milhões, caso o clube saudita deseje comprá-lo ao fim do empréstimo. O Bahia é detentor de 45% e, portanto, fica com a possibilidade de receber mais R$ 7,2 milhões. As outras fatias pertencem a Sport e São Paulo e ao próprio jogador.

Esta é a segunda proposta do Al Wehda a Régis. Na primeira, no dia 23 de agosto, o clube treinado pelo brasileiro Fábio Carille chegou a anunciar o acordo em rede social, porém não se concretizou. Dessa vez, o time teria subido a oferta ao atleta, que pediu para ser liberado.

Por isso, Régis foi retirado do banco de reservas na derrota contra o Atlético Paranaense, domingo (2), em Curitiba. A diretoria tricolor ficou de bater o martelo nesta segunda (3) ou terça-feira (4). A tendência é aceitar a proposta.

Há, no entanto, um possível entrave para Régis. Como a janela de transferências para a Arábia Saudita fechou na semana passada, ele corre risco de só poder jogar em janeiro. Reserva no Bahia, o meia está ciente do risco.

Além do técnico, o Al Wehda se reforçou com outros brasileiros: o zagueiro Renato Chaves (ex-Fluminense), o volante Anselmo (ex-Sport e Internacional), os meias Marcos Guilherme (ex-São Paulo) e Otero (ex-Atlético-MG) e o atacante Fernandão, que estava no turco Fenerbahçe e defendeu o Bahia em 2013. O campeonato local começou no dia 30 de agosto, e o Al Wehda empatou em 0x0 com o Al Hazm.

Deixe uma resposta