Idoso morre eletrocutado após encostar em estúdio de rádio na Bahia

O aposentado Ademir Marques de Souza, 67 anos, morreu na madrugada de domingo (6), após receber uma forte descarga elétrica, na cidade de Ibititá, no Centro-Norte do estado. Ademir estava na Festa de Reis promovida pelo município, no povoado de Canoão, quando encostou em uma escada que fazia parte do estúdio de transmissão de uma rádio de Irecê, que fica na mesma região.

De acordo com informações da Delegacia de Ibititá, o caso aconteceu por volta da 0h30 e envolveu um caminhão que recebia o estúdio móvel da Rádio Líder FM, de Irecê. Ainda segundo a polícia, o aposentado foi socorrido pela brigada de incêndio do evento e levado à clínica da cidade e, posteriormente, ao Hospital de Ibipeba. Ademir morreu no mesmo dia por eletroplessão (morte provocada por descarga elétrica), de acordo com o boletim médico.

Nos últimos dias, foram ouvidas testemunhas do acidente, parentes e socorristas. Na próxima semana, os responsáveis pela rádio e um eletricista da cidade, que teria instalado o equipamento, devem prestar depoimento. O eletricista, que é prestador de serviços, já foi identificado.

Vídeos que mostram o momento em que Ademir cai no chão também estão sendo analisados pela delegacia. Enquanto a vítima está caída, um homem passa por ele e não presta socorro. À polícia, testemunhas disseram ter acreditado que ele estava sob efeito de álcool.

Horas antes de Ademir sofrer o acidente, segundo a família do aposentado, uma locutora da rádio também teria sofrido um choque. Nas imagens, é possível ver que ela se desequilibra e é ajudada por uma pessoa.

 


Escada
Um dos filhos do aposentado, Erivelton Marques de Souza, disse que seu pai encostou na estrutura do estúdio móvel da rádio e recebeu uma primeira descarga elétrica e, em seguida, levou outro choque.

“Ele caiu e ficou se debatendo no chão. Depois, levantou e acabou tocando novamente na escada, recebendo um choque ainda mais forte”, disse.

Ele criticou o fato de a família não ter sido procurada por nenhum dos responsáveis pela rádio. “O pessoal da Líder FM foi muito desumano com meu pai e com a nossa família. Não recebemos nenhuma assistência, nenhum telefonema. Eles simplesmente fingiram que nada aconteceu”.

Ele afirma, ainda, que os responsáveis pela rádio tinham sido informados, na ocasião, que outras pessoas tinham reclamado de choques elétricos quando se aproximavam do praticável montado para a transmissão.

Erivelton diz que pretende processar a rádio. “Estamos todos arrasados, eu, meus irmãos. Mas minha mãe está acabada, não come, não sai na rua. Ela perdeu a razão de viver. Só Deus pode confortá-la. Queremos justiça. Não vamos deixar a impunidade destruir a nossa família”.

Rádio
Ao CORREIO, o diretor proprietário da Rádio Líder, Jota Sidney, reforçou que ainda aguarda os resultados da perícia. Segundo ele, no dia da festa, chovia muito na cidade. O estúdio, que existe há 10 anos, nunca teria tido problema.

“Ele (Ademir) estava próximo ao estúdio. Ninguém sabe se ele caiu e encostou no estúdio. Não conversamos com a família porque não vamos assumir uma culpa que a gente não sabe se é nossa. A família, influenciada por algumas pessoas, disse em algumas reportagens que seríamos os culpados, mas ele pode ter caído lá”, disse, por telefone.

Sidney afirmou, ainda, que a locutora da rádio não sofreu nenhum choque. Ela teria se desequilibrado ao tentar subir no estúdio. “Ela estava com um sapato alto e estava chovendo muito. Colocaram um vídeo editado como se tivesse sido um choque, mas nós temos o mesmo vídeo na íntegra. Nas imagens, tem várias pessoas subindo e descendo sem problema”, concluiu.

Ao CORREIO, a Rádio Líder também enviou uma nota de esclarecimento. Leia na íntegra:

“O Grupo J.Sidney de Comunicação lamenta profundamente o ocorrido com o senhor Ademir Marques de Souza nos festejos de Santo Reis em Canoão de Ibititá, ao mesmo tempo que esclarece que tem acompanhado e dado todo suporte às investigações para que seja elucidado o mais breve possível o ocorrido.

A empresa ressalta que mantém sempre o compromisso com a segurança do público, assegurando todas as medidas de segurança, bem como realiza todas as vistorias dos equipamentos por técnicos especializados e realiza todas as medidas cabíveis como aterramento, verificação de segurança e análise dos fios de eletricidade.

Estamos aguardando a apuração das investigações que estão sendo conduzidas pelas autoridades competentes, oportunidade em que nos colocamos a inteira disposição.

O Grupo J. Sidney lamenta profundamente o ocorrido e demonstramos todo nosso respeito nos solidarizando com a vítima e seus familiares.

A empresa estará à disposição para prestar todos os esclarecimentos às autoridades, dando toda a assistência necessária, ocasião em que manifestamos toda solidariedade e apoio para com os familiares e amigos da vítima, reiterando nossos votos de pesar”.

Correio da Bahia

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: