‘Lei do Ex’: Palmeiras é surpreendido pelo Cruzeiro com gol de Barcos

Palmeirense Borja lutou com a zaga do Cruzeiro na 1ª semifinal da Copa do Brasil

O Palmeiras foi surpreendido com um gol no início e perdeu para o Cruzeiro por 1 a 0 nesta quarta-feira (12), no Allianz Parque, na primeira partida da semifinal da Copa do Brasil. O ex-palmeirense Barcos marcou aos 4 minutos em um contra-ataque fulminante do time mineiro.

No último lance, o Palmeiras chegou ao empate com o zagueiro Antônio Carlos, mas o árbitro Wagner Reway marcou falta de Edu Dracena na disputa de bola com o goleiro Fábio e invalidou o gol. O lance provocou muitas reclamações por parte dos palmeirenses.

O resultado deixa a equipe celeste mais perto da vaga. O Cruzeiro poderá se classificar mesmo se empatar o segundo jogo, marcado para o dia 26 de setembro, às 21h45, no Mineirão, em Belo Horizonte.

O jogo

A partida começou quente. Aos 3 minutos, o atacante colombiano Borja chegou na cara do gol e disparou para uma grande defesa de Fábio.

Na sequência, o Cruzeiro iniciou um contra-ataque mortal com Robinho e Thiago Neves. A bola foi passada para Barcos, que dominou na grande área e tocou por cobertura na saída de Weverton. A ‘lei do ex” apareceu logo aos 4 minutos de jogo: 1 a 0.

Mas o Palmeiras reagiu. Aos 10 minutos, o meia-atacante Dudu, que recebeu na esquerda, cortou para dentro e bateu colocado. A bola passou muito perto da trave esquerda de Fábio.

Três minutos mais tarde, o atacante Willian aproveitou um cruzamento da direita e, mesmo errando o chute, acertou a trave superior do goleiro cruzeirense.

Apesar de ter sofrido o gol nos minutos iniciais, o Palmeiras parecia não ter sentido a desvantagem e sufocava o Cruzeiro no campo de defesa. A equipe mineira, por sua vez, aguardava por um novo contra-ataque certeiro.

O time alviverde teve nova oportunidade para empatar aos 28 minutos. Dudu puxou o contra-ataque e passou para Willian, que fez o pivô, ajeitando para Borja bater forte. No entanto, a bola passou à esquerda de Fábio.

Aos 31 minutos, Willian arriscou de fora da área, mas chutou o chão e a bola chegou fraca nas mãos do goleiro da equipe celeste.

Porém, o Cruzeiro assustou novamente aos 42 ninutos. Thiago Neves deu um passe dentro da área para Barcos, que resvalou de cabeça para Arrascaeta dividir com Weverton. Corajoso, o goleiro palmeirense conseguiu desviar para escanteio e evitar o gol.

Antes do encerramento do primeiro tempo, Arrascaeta caiu no gramado. O técnico Mano Menezes colocou o meia Rafinha em campo no lugar do uruguaio, que saiu machucado.

Os jogadores do Palmeiras estavam nervosos. O cruzeirense Léo recebeu cartão amarelo por reclamação. Pelo mesmo motivo, o palmeirense Dudu também foi punido.

Aos 50 minutos, Barcos caiu no gramado e pediu atendimento. O carrinho da maca entrou em campo, mas a demora para retirar o atacante provocou nova confusão entre os jogadores.

Um minuto depois, o árbitro Wagner Reway recebeu um chamado do VAR, ouviu, mas mandou o jogo seguir.

Segundo tempo

Na segunda etapa, o técnico Felipão tirou o volante Thiago Santos, que também tinha um cartão amarelo, para colocar em campo o meia Lucas Lima. Era uma clara tentativa de deixar a equipe mais criativa para buscar a virada.

Aos 2 minutos, Dudu sofreu falta de Edilson na esquerda. Ele mesmo cobrou e colocou a bola na cabeça de Antônio Carlos. Mas o zagueiro subiu desequilibrado e perdeu uma boa chance de gol.

O Palmeiras seguiu tentando sufocar o time mineiro, que mantinha a estratégia de explorar os contra-ataques. Aos 9 minutos, o goleiro Fábio foi punido com o cartão amarelo por fazer cera para repor a bola em jogo.

Aos 14 minutos, o Palmeiras bateu escanteio curto pela direita, a bola foi alçada na área, o meia Robinho furou e quase deixou Fábio em apuros. Mas o goleiro saiu bem e interceptou o ataque adversário.

Quatro minutos depois, o time alviverde construiu uma boa jogada que culminou na finalização do lateral Mayke. O chute saiu cruzado e rasteiro, mas Fábio caiu bem para fazer mais uma defesa.

Aos 31, Willian arriscou mais uma vez de fora da área de deu trabalho para Fábio. A bola quicou na frente do goleiro cruzeirense, que espalmou para escanteio.

Aos 35, o lateral Edilson interceptou um chute de Dudu com o braço e recebeu o cartão amarelo. No entanto, o jogador reclamou da marcação e foi expulso de campo. Houve muita confusão entre os jogadores e a partida ficou cerca de três minutos paralisada.

Devido às várias paralisações, a arbitragem concedeu 7 minutos de acréscimos, período no qual o time palmeirense intensificou as investidas em busca ao menos do empate.

Aos 48 minutos, a bola foi cruzada da esquerda e chegaria no jovem Arthur, que esperava na segunda trave. O lateral Egídio, outro ex-palmeirense, tentou cortar e bateu contra a própria meta, obrigando Fábio a fazer um milagre para evitar o empate.

Aos 51 minutos, Lucas Lima acertou novamente a trave do Cruzeiro com um chute forte de perna direita. Um minuto depois, Antônio Carlos fez o gol, mas o árbiro Wagner Reway anotou falta de Edu Dracena em Fábio e invalidou o lance.

Os palmeirenses cercaram o árbitro, que encerrou o jogo logo após a jogada.

Bem postado em campo pelo técnico Mano Menezes, o Cruzeiro suportou a pressão até o fim e conquistou uma importantíssima vitória fora de casa.

Próximos jogos

O Palmeiras voltará a campo no próximo domingo, às 16 horas, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe alviverde enfrentará o Bahia, na Arena Fonte Nova, em Salvador. No mesmo dia e horário, o Cruzeiro terá o clássico com o Atlético, no Mineirão.

Ficha técnica
PALMEIRAS 0 x 1 CRUZEIRO
12/9 – Allianz Parque (São Paulo)
Árbitro: 
Wagner Reway (Fifa); Gols: Barcos, aos 4 minutos do 1º tempo;Cartões amarelos: Thiago Santos, Dudu (Palmeiras); Léo, Fábio (Cruzeiro); Cartão Vermelho: Edilson (Cruzeiro)
PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barboza; Thiago Santos (Lucas Lima, no intervalo), Bruno Henrique (Marcos Rocha, aos 38 do 2º) e Moisés; Willian, Dudu e Borja (Arthur, aos 32 do 2º). Técnico: Luiz Felipe Scolari.
CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Bruno Silva, aos 16 do 2º), Thiago Neves e Arrascaeta (Rafinha, aos 46 do 1º); Barcos (Raniel, aos 24 do 2º). Técnico: Mano Menezes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: