Lula estréia como comentarista e reclama do juiz

No primeiro comentário sobre a Copa do Mundo enviado da prisão para o canal TVT, o ex-presidente Lula (PT) se mostrou decepcionado com a estreia do Brasil -que empatou por 1 a 1 com a Suíça neste domingo (17).

“O jogo de estreia da seleção demonstrou uma máxima do futebol que sempre repetimos: treino é treino e jogo é jogo”, afirmou o petista na análise futebolística, que foi exibida em texto e lida por um narrador da emissora, mantida pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e pelo Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região.

A participação de Lula como comentarista foi anunciada na semana passada pelo jornalista José Trajano, ex-ESPN. A resenha é exibida no programa dele, o Papo com Zé Trajano.

Lula tem televisão no local onde cumpre pena, na Polícia Federal em Curitiba, e está assistindo às partidas.

Além de ressaltar a diferença entre jogo de eliminatórias e jogo da Copa propriamente dita, o ex-presidente disse que o Brasil “teria de vencer”, por causa de seu histórico e por ser a única seleção pentacampeã “e, portanto, amplamente favorita”.

Lula se compadeceu de Neymar ao reclamar do estilo de jogo da Suíça, que “marcou forte, de forma muito dura, e não deixou a seleção jogar”, opinou.

“Não deixou o Neymar jogar, fazendo faltas e faltas. Além disso, o Neymar tentava, sem êxito, carregar a bola. Não conseguiu”, lamentou o ex-presidente sobre o atacante.

Entre as razões que ele apontou para o mau desempenho do Brasil, estão queixas sobre a atuação do juiz da partida. Lula endossou ataques ao árbitro em dois lances envolvendo jogadores brasileiros, fazendo análise semelhante à de Tite (ex-técnico do Corinthians, o time de coração do ex-presidente).

“A culpa pode ser do momento psicológico da estreia, pode ser da falta não marcada no Miranda no lance do gol da Suíça, pode ser do pênalti não marcado no Gabriel Jesus”, escreveu o petista.

“Sinceramente”, continuou, “o fato é que não jogamos bem e o adversário fez o que tinha de fazer, que era impedir o jogo do Brasil”.

Lula recomendou que a seleção não menospreze a Costa Rica, seu próximo adversário, e pinçou duas observações que ficaram provadas na primeira semana da Copa, em sua visão.

“A Alemanha não é invencível e, entre os maiores craques, só o Cristiano Ronaldo fez por merecer. O resto é conversa pra mesa de bar”, concluiu, enviando “abraços do Lula”. Com informações da Folhapress.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *