Marun: governo monitora caminhoneiros ‘radicais’, mas movimento acabou

O ministro da secretaria de governo, Carlos Marun, afirmou neste sábado que “radicais” tentam organizar, pelo Whatsapp, uma retomada da greve dos caminhoneiros.

De acordo com o ministro, o movimento é pontual, está sendo monitorado pelo governo e não deve prosperar.

Para tentar ressuscitar os atos, grupo liderado pelo caminhoneiro autônomo Wallace Landim, o “Chorão”, tenta reunir manifestantes em Brasília. Neste sábado (2), apenas cinco caminhões se concentraram em frente ao estádio Mané Garrincha, na capital federal.

Na avaliação de Marun, os motivos que levaram os caminhoneiros à greve não existem mais, já que o governo atendeu aos pleitos da categoria.

“Realmente, existem alguns radicais tentando fazer com que o movimento se retome através do WhatsApp, mas nós temos a expectativa de que isso não vai acontecer”, afirmou à Folha de S.Paulo.

“Nós continuamos mobilizados, continuamos atentos, as coisas estão sendo monitoradas, mas até agora não existe motivo para que a gente mude o entendimento de que o movimento efetivamente se encerrou”, disse. Com informações da Folhapress.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *