Médica que atropelou três pessoas na Calçada diz que teve convulsão ao volante

Motorista ficou cerca de 40 minutos dentro do carro após o acidente (Foto: Leitor CORREIO/Via WhastApp)

A médica de 60 anos que atropelou três pessoas no bairro da Calçada, em Salvador, na manhã desta quinta-feira (10), alegou em depoimento à polícia que sofreu uma crise convulsiva. Segundo o delegado titular da 3ª Delegacia (Bonfim), onde o caso foi registrado, ela contou que é a terceira vez que sofre este tipo de situação, mas a primeira vez ao volante.

“Ela disse que sofre de ataques de convulsão. O primeiro foi em 2013, um outro no ano passado e o terceiro agora. Ela não faz uso de medicamento controlado e disse que nunca se envolveu em um acidente, mesmo tendo mais de 20 anos de habilitação”, revelou o delegado Victor Spínola.

O titular da unidade policial informou ainda que, aparentemente, ela não tinha feito uso de bebida alcóolica, mas mesmo assim a encaminhou para fazer o exame de alcoolemia no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Ele lembrou também estaria trafegando em baixa velocidade, entre 25 km/h e 30 km/h, e tanto os documentos da motorista quanto do carro estavam em dia.

“Neste caso, ela pode responder por lesão corporal culposa na condição de condutora do veículo. É um crime de menor potencial ofensivo. Esta ocorrência tem mais desdobramentos no âmbito cível do que no criminal, porque as pessoas vão querer ser indenizadas”, destacou.

Até o início da noite, nenhuma das três vítimas havia prestado depoimento. Núbia Cristina Rosa Ferreira, 49 anos, Laila Taís Costa da Silva, 17, e Vilmara da Costa, 50, já foram liberadas das unidades de saúde em que foram atendidas. Elas devem ser ouvidas ao longo da semana.

No acidente, um ônibus também foi atingido pelo carro da médica, um carro do modelo WRV – Honda. Os dois veículos foram encaminhados para a perícia.

Entenda o caso
Três pessoas foram atropeladas no Largo da Calçada por uma médica que teria tido um mal súbito na manhã desta quinta (10). O WRV- Honda atingiu a vendedora ambulante Núbia Cristina Rosa Ferreira, 49 anos, foi ferida e levada para o Hospital Geral do Estado (HGE). Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), ela tem uma deformidade no joelho e se queixou de dor na perna direita.

As outras duas vítimas foram mãe e filha que se dirigiam a uma consulta médica. A estudante Laila Taís Costa da Silva, 17, estava na companhia da mãe, a dona de casa Vilmara da Costa, 50, quando foi atingida pelo veículo. As duas estavam no passeio quando foram surpreendidas pelo impacto do veículo, que saiu da pista avançando para o canteiro.

Laila sofreu uma lesão na cabeça e teve dores no cotovelo. Já a sua mãe reclamou de dores nas duas pernas. Segundo o delegado Victor Spínola, elas já receberam alta médica.

Deixe uma resposta