PF prende uma pessoa no Acre em operação contra pornografia infantil; ação ocorre em sete estados

  A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 26, uma operação contra a pornografia infantil. No Acre, uma pessoa foi presa preventivamente. A ação faz parte da segunda fase da Operação Underground e cumpriu, ao todo, dez mandados de prisão preventiva. Os presos, segundo a PF, armazenavam material pornográfico de crianças e adolescentes.

A Polícia Federal no Acre (PF/AC) informou que o investigado nesta fase da ação já havia sido preso na Operação Hades que também investigava casos de pornografia infantil e foi deflagrada em fevereiro deste ano. O homem permanece preso, pois foi identificado como abusador de menores e divulgador de material pornográfico.

Além disso, nove pessoas foram presas em flagrante e a PF também cumpriu 11 mandados de busca e apreensão. Além do Acre, os estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco e Maranhão também foram alvos da operação. Os investigados compartilhavam o material pela internet.

Durante a investigação, a PF também apurou que grande parte dos envolvidos efetivamente abusava sexualmente de crianças, registrando as imagens. Numa segunda etapa, os investigados se reuniam em salas virtuais, onde trocavam, vendiam ou simplesmente disponibilizavam os arquivos ilícitos.

“Algumas das vítimas já foram identificadas. Em alguns casos, foi constatado que o agressor é pessoa do convívio da família da vítima, ou mesmo parte dela”, disse a PF.

Na primeira fase da Operação Underground, realizada em 2017, 21 pessoas foram presas, segundo informou a PF. O crime de publicação de imagens de pornografia infantil prevê pena de 3 a 6 anos de reclusão. Já o estupro de vulneráveis prevê de 8 a 15 anos de prisão.

Gazeta do Acre

Deixe uma resposta