Reviravolta em investigação de morte de jovem após rave

Uma reviravolta na investigação da morte da universitária após uma rave, no Recanto das Emas (DF). Conforme a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) informou, neste sábado (30), Ana Carolina Lessa, de 19 anos, teria ingerido um sedativo conhecido como cetamina.

O medicamento é usado como anestésico em animais de grande porte, mas tem sido usado para “fins recreativos”. Associada ao álcool ou outras drogas, a susbtância é chamada de Special K.

O uso da cetamina, que teria sido revelado pela polícia, em depoimento, por um familiar, pode explicar a morte. “Essa droga ataca os rins, e ela tinha problema renal. No hospital, foram os primeiros órgãos dela a parar”, contou o parente, que preferiu manter o anonimato, ao Metrópoles.

O familiar acredita que algum conhecido tenha entregue a bebida à estudante de enfermagem. “A Carol ia para raves. Ela já tinha ido para algumas, até a mãe dela proibir. Isso era um motivo de briga entre elas, e a mãe se culpa muito por isso”.

Ana Carolina morreu por volta das 15h da segunda-feira (25), dois dias após o Arraiá Pisocélico, realizado no sábado (23). A jovem chegou a ser levada ao Hospital São Matheus, no Cruzeiro, mas não resistiu. A universitária foi dada como desaparecida, mas foi encontrada no dia seguinte, na casa de um conhecido, em Ceilândia.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: