Rui Costa diz que só Lula pode discutir candidatura

O governador Rui Costa disse, ontem, que a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, não tem “legitimidade nem autoridade” para discutir uma alternativa ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa pelo Palácio do Planalto. Após o ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT) sinalizar que o PT pode abrir mão da candidatura a presidente da República para apoiar o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), a mandatária do partido afirmou que o pedetista não “passa no PT nem com reza brava”. “Eu acho que a iniciativa [de decidir o substituto] caberá única e exclusivamente ao presidente Lula. Ele, que mesmo depois das perseguições, ainda lidera com folgas todas as pesquisas de opiniões. Cabe a ele a iniciativa deste debate. Por enquanto, a tarefa nossa é de lutar pela liberdade do Lula, que está sendo injustiçado e perseguido. Acho que nenhum de nós nem governador nem presidente do PT tem, nesse momento, legitimidade nem autoridade para discutir qualquer alternativa. E, se isso ocorrer, dever partir dele próprio”, afirmou, durante o lançamento oficial do XIX Encontro Internacional Virtual Educa, no Salão de Atos do prédio da Governadoria.

A declaração de Jaques Wagner de que o PT poderia apoiar Ciro Gomes provocou uma reação de petistas. O líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta, afirmou que a fala do ex-governador da Bahia “não expressa posição oficial do partido”. A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) preferiu minimizar a posição de Wagner, e ressaltou que o candidato do PT é Lula. “Em tempos normais, acho que ele quis dizer que o PT pode apoiar outro partido e eu acho até que deve [no futuro]. Mas neste momento, nesta conjuntura, esta não é a nossa posição”, afirmou Dilma, no evento Brazil Forum UK.

Já Ciro Gomes saiu em defesa de Wagner, e disse que o ex-governador pode ter sido “mal entendido”. “Quero fazer uma manifestação de muita gratidão e carinho ao meu amigo Jaques Wagner, pois quando ele, questionado pela imprensa, faz essa cogitação, corre risco de ser mal entendido. O fato real e concreto é que temos que aceitar, compreender e respeitar o tempo do PT”, pontuou. O chefe do Palácio de Ondina voltou a criticar a prisão de Lula, que completou ontem 30 dias na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. “É muito tempo para uma injustiça brutal. Eu, como cidadão, fico indignado de ver um ser humano inocente ficar preso por uma questão política. Se o Lula hoje não estivesse liderando as pesquisas, com absoluta convicção, [eu digo que] ele não estaria preso”, salientou.

Governador promete “completar desejo” dos aliados

O governador Rui Costa (PT) disse, ontem, que quer “contemplar o desejo” dos aliados que brigam para integrar a sua chapa na eleição deste ano. “Nós estamos conversando. Por enquanto, não tem nenhuma definição [sobre a composição]. Vamos continuar conversando. Vamos encontrar uma solução que possa contemplar o justo desejo de todos de ter uma boa representação para esta eleição”, afirmou.

O chefe do Palácio de Ondina articula para pôr o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD), na chapa, sem provocar um racha na base, já que a senadora Lídice da Mata já manifestou publicamente a vontade de disputar a reeleição.

Na entrevista publicada ontem na Tribuna, a socialista garantiu, no entanto, que não pretende lançar candidatura avulsa, caso não seja contemplada na composição de Rui Costa, e não descartou a possibilidade de concorrer à Câmara dos Deputados. “Não tem discussão sobre isso neste momento. Estou lutando, com todas as minhas forças, que podem ser poucas, para ser candidata ao Senado”, afirmou.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: