Santos segura o Independiente e volta com empate da Argentina

Com determinação, e pressionando o adversário na faixa central do campo, o Santos conseguiu segurar o ímpeto do Independiente na noite desta terça-feira (21), no Estádio Libertadores de América, na Argentina.Com o empate por a 0 a 0, os comandados de Cuca vão definir a vaga para as quartas de final da Copa Libertadores na terça-feira (28), no Pacaembu.

Quem vencer se classifica para enfrentar Racing ou River Plate, que também empataram o primeiro duelo por 0 a 0. Empate sem gols leva aos pênaltis. Igualdade com gols classifica o time argentino.

Jogando em casa, a equipe argentina, que há 23 anos não disputava um mata mata de Libertadores, esteve mais perto do gol ao longo do jogo.

Foram 14 conclusões dos argentinos, 6 para fora e 8 no gol. O Santos, apesar de chegar perto da área adversária, não finalizou nenhuma vez.

Um dos armadores do time do Independiente, Maximiliano Meza, 25, que esteve na Copa do Mundo pela Argentina, não conseguiu criar jogadas de perigo. O empate mostra que o sistema desenhado por Cuca surtiu efeito ao longo do jogo.

As duas linhas defensivas bloquearam as jogadas adversárias. E, com a bola, elas tentaram sair em velocidade. Erros de passes no nascimento das jogadas impediram o Santos ter um resultado ainda melhor em solo argentino.

O duelo entre Santos e Independiente pelas quartas de final reúne dez títulos da Libertadores e remete aos anos 1960. São três triunfos do time brasileiro.Na outra única vez em que ambos se encontraram em um duelo eliminatório pela mesma competição, os argentinos passaram. Em jogos válidos pela semifinal de 1964, o Independiente virou o jogo no Maracanã, por 3 a 2. E voltou a ganhar em casa por 2 a 1.

Naquele ano, seria o primeiro título da Libertadores do time de Avellaneda. Viriam outros seis. O que fez surgir o apelido de Rei de Copas.

Com o empate, a situação do Santos dirigido por Cuca não é melhor apenas que a do Palmeiras, entre os brasileiros que disputam a Copa Libertadores contra equipes estrangeiras. O time alviverde foi o único que venceu fora, e com facilidade, a primeira partida do seu confronto pelas oitavas de final do torneio.

Como ganhou por 2 a 0 do Cerro Porteño, do Paraguai, em Assunção, a equipe dirigida pelo técnico Scolari pode até perder por um gol de diferença na quinta-feira (30), no Allianz Parque.

Qualquer derrota por um gol, além do empate ou da vitória, coloca o Palmeiras nas quartas de final do torneio.

Se ratificar o favoritismo, o time paulista poderá enfrentar o grande rival Corinthians na próxima fase da principal competição sul-americana de clubes.

Para isso, a equipe alvinegra terá que reverter a derrota por 1 a 0 do primeiro jogo. A partida da volta contra o Colo Colo, do Chile, está marcada para a noite de quarta-feira (29), em Itaquera.O Grêmio é outro time do Brasil que precisa reverter um resultado negativo. Na primeira partida, na Argentina, a equipe de Porto Alegre saiu derrotada pelo Estudiantes por 2 a 1. A volta, que vai decidir o futuro do atual campeão da Libertadores, será na terça-feira (28) em Porto Alegre.

O vencedor deste duelo que envolve a agremiação do Rio Grande do Sul enfrentará Atlético Tucumán ou Atlético Nacional, da Colômbia. O time argentino ganhou a primeira partida jogando em casa por 2 a 0.Haverá, certamente, pelo menos um brasileiro na próxima fase da Libertadores. No confronto nacional das oitavas de final, o Cruzeiro venceu o Flamengo por 2 a 0 no Maracanã no jogo de ida. A volta, no Mineirão, também será na quarta-feira (29). Com informações da Folhapress.

O cruzamento do vencedor do duelo brasileiro será com quem passar pelo confronto entre Boca Juniors e Libertad, do Paraguai. Na primeira partida, em Buenos Aires, a equipe azul e dourada ganhou por 2 a 0 diante de sua torcida.

INDEPENDIENTE

Campaña; Bustos, Burdisso, Brítez, Gastón Silva; Francisco Silva, Pablo Hernández, Cerutti (Verón); Meza, Gigliotti, Romero (Pizzini). T.: Ariel Holan

SANTOS

Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique, Dodô; Alison, Carlos Sánchez (Bryan Ruiz), Diego Pituca; Bruno Henrique (Sasha), Gabigol, Rodrygo (Derlis González). T.: Cuca

Estádio: Libertadores de América, em Avellaneda (ARG)

Juiz: Diego Haro (PER)

Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Dodô, Gabigol e Carlos Sánchez (Santos); Bustos, Francisco Silva, Cerruti e Gastón Silva (Independiente)

Cartão vermelho: Dodô (Santos)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: