Serie A – CSA goleia o Juventude em Caxias e conquista o acesso

O CSA marcou neste sábado o dia mais importante da sua história. Nada será como antes. Goleou o Juventude em Caxias do Sul, por 4 a 0, e chegou à Série A do Brasileiro. Mais do que isso: provou que tudo pode mudar muito rápido no futebol brasileiro. Há três anos, o time alagoano não disputava nem a Série D. Depois de três campanhas fulminantes, conquistou o acesso e enlouqueceu sua fanática torcida. Os três gols de Berola e o outro de Jhon Clley anteciparam o Carnaval em Alagoas.

OS TRÊS DE BEROLA

Berola fez cinco gols com a camisa do CSA nesta Série B. Pode parecer pouco, mas foram decisivos, fundamentais. Três deles saíram logo na partida mais importante da história do Azulão, neste sábado, contra o Juventude. Os outros dois foram marcados num jogo dificílimo, contra o Sampaio, no Maranhão. Depois daquela virada, seria muito difícil segurar o time no Brasileiro.

CRÔNICA DO ACESSO

Às vezes, a crença parece ingênua. Você luta por uma causa que parece nunca lhe responder. Cadê os sinais?

Do nada, em meio ao redemoinho feito de poeira, tudo se mexe. Vira pelo avesso. Tudo parece fazer sentido.

JHON E O PRIMEIRO GOL

Jhon Cley é um herói improvável do CSA. Ele entrou na equipe em cima da hora e fez o gol mais importante da história do Azulão. De cabeça, aos 19 minutos do primeiro tempo. Foi apenas o 13º jogo dele pelo time e marcou o quarto gol na Série B.

PRIMEIRO TEMPO

O jogo foi bom, com chances de lado a lado. Hugo Cabral assustou de cara o Juventude, mas Denner respondeu na sequência, de cabeça. Depois, Esquerdinha colocou o goleiro Lucas Frigeri para trabalhar.

O CSA avançou as peças e acertou dois chutes, com Hugo Cabral e Pio, antes de abrir o placar. Aos 19 minutos, Pio cobrou escanteio pela esquerda, no primeiro poste, e Jhon Cley cabeceou no outro lado, tirando do goleiro Douglas: 1 a 0.

SEGUNDO TEMPO

O CSA continuou esperando, sem se afobar. O Juventude ficou com a bola e explorou muito as jogadas aéreas. Faltou força ofensiva para concluir.

Foi aí que tudo foi definido. Neto Berola entrou aos 15 minutos e marcou três gols. O último, aliás, foi uma pintura. Passou por quatro adversários e fechou a campanha do Azulão com um golaço.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: