Twitter também vendeu dados para pesquisador da Cambridge Analytica

Depois do Facebook, uma nova polêmica surge sobre compartilhamento de dados envolvendo a companhia de consultoria política Cambridge Analytica. Aleksandr Kogan, mesmo acadêmico que esteve no centro do caso da rede social de Mark Zuckerberg, também comprou acesso a dados do Twitter para utilizar em sua firma, a Global Science Research (GSR), noticia o Tec Mundo.

Kogan foi o responsável por criar ferramentas à Cambridge Analytica para que a empresa pudesse perfilar psicologicamente os eleitores durante o pleito de Donald Trump, em 2016.

Segundo o jornal Telegraph, o pesquisador comprou pacote do Twitter Em 2015. Kogan se defende alegando que as informações colhidas teriam sido usadas apenas para elaborar “relatórios de marcas” e “recursos extensores de pesquisas” e que não violou nenhuma das regras do microblog.

A Cambridge Analytica afirmou ter usado a rede social para publicidade política, informou um porta-voz da empresa. No entanto, garante que a companhia nunca “empreendeu um projeto com a GSR se concentrando em dados do Twitter e a Cambridge Analytica nunca recebeu dados do Twitter da GSR”.

Ele acrescentou que “a Cambridge Analytica é uma agência de marketing orientada por dados e não ‘manipula visões políticas'”.

O Twitter confirma o acesso da GSR em 2015. “Em 2015, a GSR teve um acesso único a uma amostra aleatória de tweets públicos de um período de cinco meses, de dezembro de 2014 a abril de 2015. Com base nas informações que vieram a público, conduzimos nossa própria revisão interna e não descobrimos qualquer acesso a dados privados de pessoas que usam o Twitter”, disse ao Bloomberg uma fonte interna da rede social.

“O Twitter tomou a decisão política de excluir a publicidade de todas as contas de propriedade e operadas pela Cambridge Analytica. Essa decisão é baseada em nossa crença de que a Cambridge Analytica esteja operando um modelo de negócios intrinsecamente conflitante com as práticas comerciais aceitáveis do Twitter Ads”, comunicou um porta-voz.

Deixe uma resposta