A fé a serviço da morte

Era para ser um período de reflexão religiosa, em uma das maiores nações cristãs do mundo. Porém uma briga por poder e influência gerou uma batalha sobre o funcionamento de atividades religiosas às vésperas da Páscoa, quando se celebra a ressurreição de Jesus Cristo. O mártir cristão foi, ao invés de celebrado, usado de maneira vã e até mesmo desrespeitosa para tentar justificar a sede de líderes religiosos que parecem pouco afeitos à fé original. Na verdade, parecem mais mensageiros da morte. Clique aqui e leia a coluna completa!

 

 

 

Fonte:Brasil Notícias 

Compartilhe essa notícia
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta