Alvo da PF por fraude bilionária com criptomoedas simulou personagens em cinco países

Um relatório da Polícia Federal mostra os “ciclos de vida” de crimes de Cláudio José de Oliveira, apontado como líder de uma organização criminosa que teria desviado cerca de R$ 1,5 bilhão investidos por 7 mil clientes do Grupo Bitcoin Banco.

Oliveira e a mulher, Lucinara Silva, têm histórico de atuação como estelionatários em passagens por quatro países — EUA, França, Portugal e Suíça —, afirmam os investigadores da operação Daemon, deflagrada na segunda (5).

Cada ciclo, diz a PF, era composto pelas fases de criação de uma identidade falsa, inserção social na localidade, captação e uso de recursos financeiros mediante fraudes e fuga. O diferencial da última empreitada teria sido o uso de criptomoedas e o argumento de uma suposta fortuna de 7 mil bitcoins (cerca de R$ 2 bilhões).

 

 

Fonte: BNews 

Deixe uma resposta