Caso Henry: Porta-retratos do apartamento de Dr. Jairinho teriam sido trocados após morte da criança

Três porta-retratos com fotos da professora Monique Medeiros da Costa e Silva e do seu namorado, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade), foram encontrados por agentes da Polícia Civil do Rio desmontados no chão do quarto de empregada do apartamento, onde a família a morava.

Os porta-retratos estavam em uma sacola de uma rede de papelarias perto aos produtos de limpeza da lavanderia e foram vistos pelos policiais durante a realização das perícias complementares no imóvel, que podem durar até 30 dias, prazo da interdição judicial do local. Peritos suspeitam de que as fotos do casal foram trocadas por imagens de Henry após a morte do menino para passar uma imagem de harmonia familiar.

No fim de semana antes de morrer, Henry estava com o pai, o engenheiro Leniel Borel de Almeida, com quem foi a igreja e a um parque de diversões, no Recreio dos Bandeirantes. Ele deixou a criança na casa do vereador, e depois Monique e Jairinho disseram ter acordado e encontrado o menino caído no chão, com mãos e pés gelados e olhos revirados.

Em depoimento prestado na delegacia, dias depois, no entanto, a empregada doméstica da família admitiu que havia limpado e organizado o apartamento antes da chegada dos policiais. Ela alegou ter chegado pra trabalhar enquanto Monique e Jairinho não estavam em casa e não ter tido conhecimento da morte do menino.

 

 

 

Fonte: BNews

Compartilhe essa notícia
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta