Com avanço do coronavírus, Europa amplia medidas restritivas

Diante do avanço do novo coronavírus, diversos países europeus anunciaram na 5ª feira (12.mar.2020) medidas restritivas para tentar conter a pandemia. Na Itália, cujo país todo foi posto em quarentena, o número de mortos passou de 1.000.

Segundo autoridades italianas, as mortes pelo coronavírus cresceram 23% em apenas 24 horas, chegando a 1.016. O número de casos registrou 1 aumento de 21,7% neste mesmo período, passando de 15 mil. Esse foi o maior crescimento de infecções diárias desde o início do surto em 21 de fevereiro.

A Itália está em quarentena desde o início da semana. Na 4ª feira (11.mar), o primeiro-ministro Giuseppe Conte decretou o fechamento do comércio, com exceção para supermercados, lojas de alimentos e farmácia. O país é o mais atingido pela pandemia na Europa.

Além da Itália, a Espanha também determinou quarentena de 4 cidades ao norte de Barcelona, na região de Igualada, devido a 1 surto significativo na área. É a 1ª restrição deste tipo no país. Madri ordenou também o fechamento de escolas e universidades por 2 semanas. As visitas em prisões foram reduzidas.

Com quase 2,9 mil infectados e 61 mortes, a França determinou o fechamento de escolas, universidades e creches a partir da próxima semana por 1 tempo indeterminado. O presidente francês, Emmanuel Macron, pediu ainda que pessoas com mais de 70 anos fiquem em casa.

Num pronunciamento, Macron afirmou que a luta contra a doença covid-19 precisa ser reforçada. “Estamos apenas no começo da crise”, destacou. Ele anunciou ainda o adiamento de eleições locais marcadas para o próximo sábado e pediu que empresas permitam que funcionários trabalhem de casa.

O transporte público não será interrompido no país. Procedimentos médicos que não forem essenciais devem ser adiados para liberar funcionários de saúde e espaço em hospitais para o tratamento de casos graves da covid-19.

Além da França, a Irlanda também anunciou o fechamento de escolas, universidades, e instituições culturais até 29 de março. O governo irlandês determinou o cancelamento de eventos com mais de 100 pessoas em locais fechados e mais de 500 em locais abertos. A Holanda também fechou as portas de principais seus museus até o fim do mês e proibiu reuniões públicas de mais de 100 pessoas.

Portugal seguiu na mesma linha e ordenou a suspensão das aulas até antes da Páscoa. Além disso, o governo determinou o fechamento temporário de casas noturnas e limitou as visitações em asilos.

Já a Bélgica, além suspender aulas e cancelar eventos culturais, determinou o fechamentos de bares e restaurantes a partir de sábado. Lojas deverão funcionar somente durante a semana, com exceção para supermercados e farmácias. “Isso não é um isolamento. Queremos evitar situações como na Itália. Essas medidas devem evitar a quarentena”, disse a premiê belga, Sophie Wilmes.

A Alemanha reforçou o controle na fronteira com a França. A chanceler federal alemã, Angela Merkel, pediu na 5ª feira (12.mar) que eventos com mais de 1.000 pessoas sejam cancelado, além daqueles menores que não são estritamente necessários.

Caberá aos estados do país decidir sobre o fechamento de escolas e jardins de infância. Merkel disse, porém, que as férias de Páscoa em abril poderiam ser antecipadas. O governo alemão também recomendou que os hospitais deem prioridade aos pacientes com covid-19, cancelando operações e tratamentos que não sejam estritamente necessários.

“Enfrentamos uma situação excepcional em todos os aspectos, e eu diria que é mais excepcional do que a crise financeira de 2008”, afirmou Merkel.

Em Berlim, todos os museus e espaços culturais públicos ficarão fechados até 19 de abril. O número de casos de coronavírus na Alemanha chegou a 2.369, com 5 mortes registradas

Alguns países adotaram restrições de viagens. A Eslováquia proibiu a entrada de todos os estrangeiros, com exceção de poloneses. A República Tcheca também limitou a entrada de cidadãos de 15 países no país.

Já a Áustria expandiu o alerta de viagem para todos os países do mundo e pediu que austríacos voltem para o casa o quanto antes. “Desencorajamos fortemente todas as viagens que não são urgentes”, disse o ministro austríaco do Exterior, Alexander Schallenberg, acrescentando que restrições de viagem podem ser decretadas em breve.

Deixe uma resposta


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/brasilno/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757