Doria prorroga quarentena em São Paulo até 22 de abril

O governador João Doria (PSDB) prorrogou nesta 3ª feira (6.abr.2020) a quarentena em São Paulo para conter o avanço da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, até 22 de abril. A medida entra em vigor a partir de 4ª feira (8.abr).

Doria disse que aqueles que prezam pela vida devem optar e defender a medida. Ao criticar os que defendem o fim do isolamento, entre eles o presidente Jair Bolsonaro, Doria citou o papa Francisco e disse que o dinheiro pode esperar e que a vida vem antes do lucro.

“Para aqueles que me pressionam [para acabar com o isolamento] eu pergunto: vocês estão preparados para assinar os atestados de óbitos dos brasileiros? Para carregar os caixões? Vão enterrar as vitimas?”, disse o tucano.

Doria também listou quem são as autoridades que defendem a quarentena. “No Brasil, quero lembrar, que defendem o isolamento o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Sergio Moro (Justiça), o vice-presidente Hamilton Mourão, o centro de estudos do exercito brasileiro, e médicos e especialistas da saúde”, disse Doria.

Com a prorrogação da quarentena, o comércio de São Paulo deve continuar fechado e só os serviços considerados essenciais continuarão funcionando –mercados, farmácias, hospitais, postos de combustível e limpeza pública.

O isolamento começou em São Paulo em 24 de março e teria validade até esta 2ª feira (6.abr). São Paulo é o Estado que mais registrou morte nos país: 275 óbitos. Já foram notificados 4.620 casos confirmados da doença.

O anúncio foi feito em uma entrevista coletiva à imprensa no Palácio dos Bandeirantes. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), e infectologista David Uip –que contraiu a doença e estava isolado por 14 dias– também estavam presente.

Covas lembrou que São Paulo ainda não atingiu o pico da doença e, portanto, os números do contágio vão aumentar nas próximas semanas. “Nós já sentimos neste fim de semana a pressão no sistema de saúde. Amanhã, 25% do hospital de campanha do Pacaembu estará ocupado. Estamos tentando antecipar os leitos que serão inaugurados”, disse.

Ação da polícia

De acordo com Doria, a polícia militar de São Paulo está autorizada a agir para orientar e evitar aglomerações. “A 1ª medida será orientativa […] a 2ª medida será coercitiva, de acordo com o que está previsto na lei”, disse Doria.

Ameaças

O governador contou que tem recebido ameaças por defender o isolamento e por isso decidiu afastar os filhos de casa. “Já tenho 1 novo número de celular, mas mantenho este para guardar as provas. Recebi ameaças inclusive em áudio”, disse Doria.

 

Deixe uma resposta


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/brasilno/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757